Vivendo o dia de hoje

“Este é o dia que o Senhor fez, alegremo-nos e regozijemo-nos nele.” (Salmo 118.34)

“Se hoje ouvirdes a sua voz, não endureça o seu coração.” (Hebreus 3.7-8)

“Hoje é o dia da Salvação.” (II Coríntios 6.2)

“Como é a vida? ‘um vapor’, respondeu-nos Tiago (4.14) Neblina que aparece por um instante.” O homem, nascido de mulher, vive breve tempo. Nasce como a flor e murcha; foge como a sombra e não permanece (Jó 14.1-2). O salmista diz que é como “a vigília da noite”, como “um sono ligeiro”, “como a erva que cresce e floresce pela manhã; à tarde murcha e seca”, é também “como um breve pensamento”, ou mesmo como “um suspiro”, pois tudo passa rapidamente e nós voamos. (Salmo 90.)

Embora demonstremos aparência de segurança, nossa vida é marcada pela incerteza, adversidade e brevidade. São razões mais do que suficientes para que ganhemos uma perspectiva correta quanto a maneira de viver.

É de causar espanto perceber que o dia de hoje estava na mente do Senhor e em Seus planos, muito antes da terra ser criada. Ele sabia que você estaria onde, de fato, está, neste exato momento, vivendo nessas circunstâncias atuais, enfrentando o tipo de pressão que você está suportando… lutando as batalhas que você está lutando e tendo este momento para refletir um pouquinho.

Quando pensamos na brevidade da vida, na incerteza que ela nos traz, apenas o caminhar com Deus produz efeito modificador em nós. O andar com Deus não nos dá garantia de que viveremos mais tempo, mas ajuda-nos a viver melhor, com maior profundidade, com maior largueza.

Visto que você nada sabe a respeito do dia, da semana ou do ano que se estende diante de você, entregue-se de modo renovado a Deus, pois Ele sabe de antemão como serão os tempos e as estações.

O Senhor Jesus está intimamente familiarizado com nossas vidas. A escuridão e a luz são a mesma coisa para Ele. Nenhum de nós está oculto diante de Seus olhos. Todas as coisas estão abertas e descobertas diante dEle: nosso passado, nosso segredo mais escuro, nossa vergonha mais profunda, nossos pensamentos malévolos, nossos motivos escondidos, nossa dor mais doída, nossa tragédia mais destruidora, até mesmo nossas tentativas inúteis, vãs, de cobrir toda essa feiura com uma camada de beleza. Conhecendo-nos assim, Ele vem perto de nós. Sabe que somos pó. Mas, acima de tudo, e apesar de tudo, nos ama e nos chama para seguir com Ele.

Tire um momento agora para inclinar sua cabeça, quem sabe ajoelhar-se e fazer uma oração em que você pode dedicar sua vida a Ele, render-lhe graças e renovar seu compromisso de caminhar com Ele “nesse dia que o Senhor fez”.

Fonte: Oitava Igreja

Confira também

Sem comentários