Valentia é preciso

Horas antes de bater as botas, o então idoso Davi chamou o seu filho para instrui-lo sobre algumas coisas que teria que fazer. E como começa a sua última instrução? Começa pedindo para o filho ser valente. Davi pediu para o seu filho ser o que ele próprio havia sido. Davi viveu com valentia. Além disso, se cercou de homens valentes. Um deles, Eleazar. Pensa num homem valente.

Ele esteve com Davi quando os filisteus se reuniram para a batalha. O combate foi tão terrível e violento que todos os israelitas pediram arrego. Todos não. Eleazar permaneceu no campo de batalha. Permaneceu para lutar. Lutou tanto contra os filisteus que a sua mão ficou dormente e grudou na espada. Você consegue imaginar como estava a mão dele? Ferida e sangrando. Mas Eleazar não pediu arrego. O homem era valente mesmo.

Lutou com dor, mas lutou. Lutou até cair o último filisteu. O Senhor, então, concedeu uma grande vitória a Israel naquele dia. Com Eleazar, a gente aprende que é preciso valentia para combater o combate do rei dos Reis. A gente precisa de homens e mulheres assim, valentes. Os homens e as mulheres de hoje pedem arrego fácil. Não aguentam lidar com a dor. Se dói, tocam o sino e pedem para sair.

O nosso combate, obviamente, não é contra os filisteus. O nosso combate é contra três inimigos, um interno e dois externos. Um que está dentro da gente, a carne, e outros dois que estão fora da gente, o mundo e o diabo. Eles não pegam leve com a gente. Não dão trégua. Partem pra cima da gente sem dó e com valentia. Nunca em toda a história humana essa trindade do mal foi tão valente. Quer realmente acabar com a gente.

Se esses nossos inimigos são valentes, nos precisamos ser mais valentes ainda. Como? Fortalecendo a nossa valentia na valentia do Mais Valente (Lc 11:21), Jesus, o Rei dos reis. Paulo, o servo dele, fazia isso sempre. Não é à toa que combateu o bom combate, terminou a carreira e guardou a fé. A coroa da justiça está reservada a ele, não somente a ele, mas a todos os homens e mulheres que combaterem o bom combate com valentia.

Por Genilson Soares da Silva

Confira também

Comentários encerrados.