Tudo farinha do mesmo saco!!!

Deus aceita as pessoas por meio da fé que elas têm em Jesus Cristo. É assim que ele trata todos os que creem, pois não existe nenhuma diferença entre as pessoas. Todos pecaram e estão afastados da presença gloriosa de Deus. Rm 3.22,23 (NTLH)

Farinha do mesmo saco, eu?

Eu sempre procurei guardar os mandamentos, dou estudo diário, não falto um sábado sequer, a não ser que esteja doente e sou dizimista, Não posso ser comparada com um pecador e acho que este texto nem serve para mim!

Quem sabe em algum momento de nossas vidas já não ouvimos afirmações como essas. Quem sabe até nós mesmas já tenhamos proferido. Se ouvimos ou fizemos tais afirmações nosso pensamento está totalmente equivocado, pois não somos melhores que ninguém. [1]Max Luccado declarou em um de seus livros: “não há nada que eu faça para que Deus me ame mais e não há nada que eu deixe de fazer para que Deus me ame menos”, Ele simplesmente nos ama!

Todos somos “farinha do mesmo saco” sim, e sabe porquê? Porque a palavra de Deus nos afirma que quando Adão e Eva pecaram, o pecado passou a toda humanidade, recebemos então, a consequência desse pecado, “pois o salário do pecado é a morte,..”. Rm 6.23. O próprio nome Adão vem do hebraico Adam que significa: ser humano. Adão sendo o representante de toda a humanidade pecou, errou o alvo e assim, todos nós também pecamos.

Paulo deixa claro em Romanos 5. 17 que a transgressão de um, fez de todos nós pecadores. Não tem jeito, o ato cometido por Adão já se deu e não há como voltar atrás. Quem garante que se nós estivéssemos no lugar dele ou de Eva não faríamos a mesma coisa, já que hoje, mesmo conhecedores da verdade, falhamos tanto?

Ser “farinha do mesmo saco” não é de todo ruim, porque o plano de Deus não acabou. Havia desde o princípio o Plano da Redenção e desse plano, todos nós também fazemos parte. Aleluia!

Ao mesmo tempo que o pecado nos afastou de Deus, recebemos a promessa do Deus de Amor que declarou à serpente com toda autoridade que lhe pertence: “Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela; este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar” Gn. 3.15. Não era o plano B, era o plano redentor, que o próprio Paulo continua declarando na carta aos romanos capítulo três, versículos seguintes: 24 Mas, pela sua graça e sem exigir nada, Deus aceita todos por meio de Cristo Jesus, que os salva. 25 Deus ofereceu Cristo como sacrifício para que, pela sua morte na cruz, Cristo se tornasse o meio de as pessoas receberem o perdão dos seus pecados, pela fé nele.

Todos nós, “farinha do mesmo saco”, recebemos o perdão dos nossos pecados, sem merecermos, sem pagarmos nada, pois Cristo, o nosso Redentor, demonstrou tanto amor, tanto amor, que entregou Sua vida preciosa por nós e pagou nossa dívida com Seu próprio sangue, e sua última declaração na cruz foi: Tetelestai – Está consumado! (João 19.30) Jesus declarou com esse brado a libertação de todos nós! Como isso é glorioso!

A nós agora, justificados, só nos cabe santificarmos a nossa vida totalmente a Ele e falarmos do Seu grande amor a todos os que estão a nossa volta, pois a eles também pertence o perdão e a salvação de Cristo.

Fonte: Fesofap

Confira também

Comentários encerrados.