Que tipo de amigo você é?

“Tenho ouvido muitas coisas como estas; todos vós sois consoladores molestos.” (Jó 16:2)

Se um amigo ou uma pessoa de sua família está sofrendo, o que você faz? Aproxima-se e diz: “Eu avisei…”  ou “Ah! Se você não tivesse feito isso ou aquilo…”? Você colabora para que o seu amigo ou familiar sofra ainda mais ou procura consolá-lo? Os amigos de Jó não conseguiram ajudá-lo. Só colaboraram para que ele ficasse mais exasperado. Se você quer ser um bom amigo, considere as sugestões a seguir:

• Ouça o que a pessoa que está sofrendo tem a dizer. Deixe que ela desabafe.

• Permita que ela extravase os seus sentimentos; deixe que chore se quiser.

• Procure ajudá-la dentro do possível. Provavelmente, você não poderá resolver o sofrimento da pessoa amiga, mas pode ajudá-la em tarefas que ela está muito abatida para realizar.

• Comprometa-se a orar  pela pessoa e, se ela quiser, ore junto com ela.

• Esteja junto dela em silêncio. “As vezes, é melhor não dizer nada; só permanecer ao lado.

• Não tente explicar ou dar sentido ao que está acontecendo. Você não Deus; só ele compreende todas as coisas. Frases como “Deus quer lhe ensinar alguma coisa! ou ” o Senhor está reservando uma bênção para você não ajudam. Traduzir o acontecimento como um castigo de Deus também não é tarefa que lhe cabe.

• Não use textos bíblicos fora de contexto e sem cautela.

• Evite as frases feitas. Elas podem dar a impressão de que o sofrimento do seu amigo não é tão profundo ou que você está fazendo pouco caso do que ele está sentindo.

Seja um bom amigo. Como um filho de Deus, aproxime-se daquele que sofre com misericórdia e amor. Seja um instrumento da graça de Deus para o consolo. A sua ajuda pode ser valiosa. Não esqueça que, em alguma ocasião de sua vida, você já necessitou de consolo. Seja sensível com os que o cercam.

Fonte: FESOFAP

Confira também

Sem comentários