Quão glorioso é o evangelho!

“Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; ” (Rm 1.16)

A Carta de Paulo aos Romanos é o maior tratado teológico do Novo Testamento. Nessa epístola, o apóstolo dos gentios fala sobre o evangelho, já no início de sua missiva. O versículo em tela é uma espécie de introdução e síntese de toda carta. Destacaremos aqui, alguns pontos importantes:

A definição do evangelho. A palavra “evangelho” significa boas novas. Boas novas do céu à terra. Boas notícias de Deus aos homens. Boas novas de salvação eterna e não apenas de bênçãos temporais. O evangelho trata do glorioso fato do amor de Deus aos pecadores indignos. Seu amor por nós é abundante, imerecido e provado. O evangelho é uma nova de grande alegria para todo povo. É a notícia mais auspiciosa e alvissareira entregue aos homens: a notícia de que o Salvador, o Messias, o Senhor veio ao mundo, para ser o nosso glorioso Redentor.

A natureza do evangelho. O evangelho é o poder Deus. Porque Deus é onipotente, o evangelho também o é em sua essência. Ninguém pode resistir o poder de Deus. Sua vontade é soberana. É impossível deter sua mão onipotente. Mas, o evangelho não é o poder que destrói, mas o poder que salva. É o poder dirigido a resgatar o perdido pecador. É o poder destinado a tirar das trevas aqueles que estavam imersos em densa escuridão. É o poder de perdoar pecadores indignos e fazer deles vasos de honra para Deus.

O propósito do evangelho. O evangelho é o poder de Deus para a salvação. Não há possibilidade de o pecador ser salvo, exceto pelo poder do evangelho. O evangelho está centrado na pessoa e na obra de Cristo. Ninguém pode ser reconciliado com Deus senão por meio de Jesus, pois ele é o único Mediador entre Deus e os homens. Ninguém pode ter acesso a Deus, exceto por Jesus, pois é a porta do céu e o caminho para Deus. Não há salvação em nenhum outro nome dado entre os homens, exceto o nome de Jesus. Aquele que, arrependido de seus pecados, põe sua confiança em Jesus é salvo; esse tem a vida eterna.

O instrumento de apropriação das bênçãos do evangelho. O evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê. A salvação é pela graça mediante a fé. A graça é a causa meritória e a fé a causa instrumental. Tomamos posse da salvação pela graça, por meio da fé. Todo aquele que crê é salvo, e só aquele que crê. O evangelho não é o poder de Deus para a salvação dos incrédulos, mas apenas para aqueles que creem e só para aqueles que creem. Fora da fé em Jesus não há salvação.

O alcance do evangelho. O evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego. Isso significa que o evangelho é universal em seu alcance. Por meio dele, Deus chama aqueles por quem Cristo morreu, procedentes de toda tribo, língua, povo e nação. Judeus e gentios, homens e mulheres, velhos e crianças, ricos e pobres, doutores e analfabetos, enfim, todos que creem em Cristo, são salvos.

A nobreza do evangelho. Diante da sublimidade do evangelho Paulo escreve: “porque não me envergonho do evangelho…”. Há alguns que se envergonham do evangelho; há outros que são vergonha do evangelho; mas nós devemos nos gloriar no evangelho e dele jamais nos envergonharmos. Devemos viver pelo evangelho e para o evangelho. Devemos sofrer e morrer pelo evangelho. Devemos pregar o evangelho. O evangelho é nosso maior tesouro, nosso maior legado, nossa maior alegria!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Confira também

Comentários encerrados.