Pode entrar!  “A benção de ser anfitriã de um pequeno grupo.”

“Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.” Hebreus 13:2

Vivemos um tempo em que se fala muito sobre inclusão social e viver sem preconceitos, de ter vários tipos de relacionamentos. Uma geração cada vez mais pluralista. Ao mesmo tempo ela nunca esteve tão exclusiva, seletiva. As redes sociais que nos conectam com o mundo é a mesma que permite incluir ou excluir quem quisermos. Por isso é importante refletirmos se não estamos fazendo assim também no ministério da hospitalidade, selecionando quem iremos receber em nossa casa e compartilhar o amor de Cristo.

O texto acima tem muito a nos ensinar e nos motivar na prática desse ministério com amor e dedicação.  No passado, as pessoas costumavam se conhecer pelo nome. Lembro-me de um episódio no nosso ministério quando fomos a uma cidade pequena e perguntamos onde morava a irmã e o informante respondeu: “ela mora na quinta casa e se não estiver lá estará na casa da Rose”, rsrs engraçado, mais verídico. Hoje muitos sequer sabem o nome do seu vizinho de frente. Entramos no carro, ônibus, avião, elevador… e muitas vezes não cumprimentamos as pessoas que ali estão. Alguns não sabem nem o nome dos porteiros dos prédios onde moram. As pessoas gostam de praticar inclusão social quando estão sendo filmadas.

O que dizer da hospitalidade em nossos dias? Está completamente esquecida. Receber alguém em sua casa hoje é muito difícil. Receber um estranho então é mais desafiador ainda. Para o homem antigo isto era uma questão de honra. Se visse um estrangeiro na rua, que não tinha lugar para ficar, ele o acolhia e o trazia para sua casa. Além disso, dava da melhor comida e o tratava com honra. Isto podia salvar a vida deste estrangeiro, pois dormir na rua naquela época também era muito perigoso.

Ló fez isso com dois homens. E segundo o texto de Hebreus nos diz, que Ló não sabia que aqueles homens eram anjos.  O termo grego para a palavra hospitalidade é philoxenia que também quer dizer amor aos estrangeiros.  Poderíamos dizer que este termo significa: amor e acolhimento àqueles que não fazem parte do nosso círculo social. Parece mesmo difícil ser acolhedor em nossa sociedade hoje. Mas a palavra de Deus nos direciona: Ao acolherem bem as pessoas, poderemos estar acolhendo sem saber, a anjos.

Jesus disse: Estive preso e fostes me visitar. Tive fome e me deste de comer. E seus discípulos perguntam: Quando Senhor? Ao que Ele respondeu: Todas as vezes que fizeram isto a qualquer dos pequeninos, vocês fizeram a mim. Seja acolhedor enxergue as necessidades das pessoas. Não só as espirituais como as físicas. Não tenha medo e nem preconceitos, simplesmente cumpra esse ministério tão relevante nos pequenos grupos na igreja em que você serve a Cristo.

Que Cristo seja o Senhor das nossas vidas, de maneira que nós possamos acolher as pessoas, como se estivéssemos acolhendo a Jesus. Que o nome do Senhor seja glorificado em nossas vidas e que pratiquemos o discipulado como boas Anfitriãs. Em nome de Jesus, Amém!

Por: Dsa.Andréia C.M.S.Silva – Congrega em: Sobradinho DF – Secretária da Resofap

Fonte: FESOFAP

Confira também

Sem comentários