O Mecanismo – o jeito certo de fazer as coisas, ou não!

Um dia desses alguém me perguntou: “você assistiu a alguma serie Netflix recentemente?” Eu respondi de pronto que sim, O Mecanismo. Em seguida, outra pergunta: “não quer escrever um texto sobre ela?”. “Claro”, disse eu. Pois bem, passado o entusiasmo da resposta me botei a pensar o que teria de proveitoso numa serie que só trata de corrupção, crime do colarinho branco e que, pior, jogou um pouco mais de gasolina na fogueira do clima de Fla x Flu vivido no Brasil.

Dessas series que você não quer parar de ver, O Mecanismo escancara o sistema perverso e pervertido que há tempos norteia o modo de fazer política no país e que lhe causa tantos prejuízos, injustiça social e opressão ao povo realmente necessitado. Permita-me aqui informar que não me iludo em defender qualquer vertente política partidária. Esse não é o cerne do texto.

Dois fatos, a meu ver, são marcantes na série. O primeiro é a tentativa de suicídio do agente federal Ruffo que não suporta mais ser tão humilhado e perseguido pelo sistema. O sofrimento por querer fazer o certo e não ter isso refletido na própria vida é algo que lhe tira a esperança. O segundo fato é o episódio do esgoto aberto ou entupido na frente da casa dele. Ao chamar a Cia. de esgoto da cidade, o responsável pelo atendimento informa que o problema é sério e que talvez seja necessária a troca do encanamento. Pior, o atendimento levaria semanas, porém era possível dar um jeitinho se ele procurasse o Seu João. O preço? Seiscentos reais para trocar um cano. Obviamente, Ruffo não aceita e dá ele mesmo o seu jeito.

Por que resolvi destacar esses dois fatos entre tantas cenas e episódios tão mais importantes? Porque percebi que neles podemos fazer referência aos valores do reino em oposição aos deste mundo. O suicídio não resolve nenhum problema. Dizem até que ele cria mais alguns para os amigos e familiares que ficam. Em Jesus há descanso e alivio e é ele mesmo quem faz o convite: “venham até mim, vocês cansados e oprimidos”  – (Mateus 11:28). Já para o jeitinho sugerido pelo Seu João, é inevitável refletir sobre quantas vezes isso foi proposto a nós, no nosso dia a dia. Seja para uma prova ficar mais fácil, para passar no teste da CNH (ou qualquer outro que o valia), para evitar uma multa de trânsito, o desbloqueador de sinal da TV a cabo e etc. Sobre isso, Paulo recomenda: “não vos amoldeis a este mundo.” Em outras palavras, o que ele quer dizer é não aceitem viver por esse mecanismo, não de um jeitinho.

Em contrapartida, o mecanismo proposto por Jesus é que vivamos pelos valores de cima, que não ajuntemos tesouro por aqui, porque se nosso tesouro estiver aqui, também deixaremos nele o nosso coração, impossibilitando assim o amar a Deus de todo o nosso coração, com toda a nossa alma, com todas as nossas forças e com toda a nossa inteligência.

Fonte: FUMAP

Confira também

Comentários encerrados.