O combinado não sai caro

“Vai guardar esses brinquedos, quantas vezes vou ter que pedir?”

“Acho que vocês pensam que tem uma escrava aqui em casa, não aguento mais!”

“Tudo sou eu nessa casa: roupas, comida, sujeira… As vezes acho que vou enlouquecer!”

Isso lhe soa familiar? Pois é, essas são algumas das expressões que escutamos com frequência nas casas das melhores famílias. Sim, o serviço de casa é infinito e cansativo. A roupa na máquina, louça na pia e sujeira no chão parecem ter um superpoder de procriação! Você termina de limpar a pia e quando olha pra trás, ali está um chão sujo clamando por uma vassoura. Você termina de varrer o chão e então, lembra que tem meio quilo de roupa na máquina para estender. Você termina de estender a roupa e, logo em seguida, lembra que precisa começar a preparar o almoço. Você termina de almoçar, olha ao redor e tem a impressão que todos os brinquedos do bairro foram espalhados pelo chão da casa. Você recolhe os brinquedos e sua filha chama para ajudar na pesquisa da escola. Você ajuda na pesquisa da escola e lembra que precisa agendar o pediatra… Ufa! Qualquer um é capaz de enlouquecer com isso!

E não pense que aqui em casa é diferente, viu? Só estou falando sobre este assunto porque vivo isso há quinze anos (onze deles com filhos). E foi vivendo, errando, testando e aprendendo que descobri algo de muito valor: o combinado NUNCA sai caro. Percebi que, muitas vezes, me via sobrecarregada porque, de forma inconsciente, me negava a distribuir as tarefas da casa, afinal (pensava a bobinha aqui), ninguém nessa casa é capaz de lavar, cozinhar ou limpar melhor do que eu! Quanta bobagem!

Foi nessa caminhada que aprendi que qualquer pessoa é capaz de aprender uma tarefa, seja ela qual for, e que o meu jeito de fazer as coisas nem sempre será o melhor; Aprendi que as pessoas precisam de tempo pra aprender e que, na maioria das vezes, não são elas as demoradas, mas eu a impaciente; Aprendi que, se moro com um grupo de pessoas, todos ali são responsáveis em manter esse ambiente limpo, portanto, as tarefas precisam ser distribuídas forma justa, e é aí que entra o tal do combinado que não sai caro.

A maioria de nós tem a terrível mania de cobrar dos filhos e do(a) parceiro(a) coisas que não foram combinadas ou previamente conversadas. E isso sempre dá muito errado! Se deseja, de verdade, se ver livre da sobrecarga que as tarefas de casa colocam sobre os seus ombros, o primeiro passo é convidar sua galerinha para uma reunião. E não pense que essa será a única! A ideia deste primeiro encontro é listar TODAS as tarefas da casa (todas, todinhas) e separá-las em duas colunas: as tarefas que precisam ser feitas diariamente e as que são feitas periodicamente. Depois de terminada a lista, cada integrante passa a colocar de forma alternada o seu nome na frente das tarefas que pode executar, por exemplo:

Louça do almoço: mãe/ Louça do jantar: pai/ Louça do café: filho mais velho/ Lixo do banheiro: filho mais novo

Depois de distribuirem todas as tarefas, montem numa folha os quadros de cada integrante da família, cada um com suas respectivas tarefas, e fixem a folha num lugar bem visível. É preciso considerar, obviamente, as idades e os integrantes que trabalham fora. A distribuição precisa ser justa ok? Nos primeiros dias, é provável que todos lembrem e realizem suas funções com facilidade, mas pode acontecer de irem esquecendo ou deixando de fazer com o passar do tempo (digo por experiência própria). O importante aqui é não se desequillibrar, não perder as esperanças e principalmente: NÃO FAZER A TAREFA DO OUTRO. Coloquei em letras garrafais pois esse é o erro que a maioria de nós comete e que costuma estragar todo o processo. Se preciso for, repita mil vezes a frase: Fulano, você lembrou de tirar o lixo do banheiro? Mas nunca, jamais, faça por ele.

Testem o combinado por um mês e depois voltem a sentar juntos para ver se a lista precisa de adaptações (provavelmente precisará). Faça os ajustes necessários e prossigam com o combinado. Posso dizer à vocês que isso costuma dar MUITO certo. Tão certo que você vai passar a ter tempo livre para assistir os seus programas favoritos, praticar aquele hobby ou colocar em dia a sua lista de livros. E mais, vai deixar de ser aquela mãe (ou pai) chato que fica gritando ou reclamando o tempo todo.

Vai lá, faz o teste e volte daqui há um mês pra me contar! Tenho a impressão que vou receber boas notícias…

Fonte: It Mãe

Confira também

Comentários encerrados.