Jogue o jogo

Por Genilson Soares da Silva

Desde que Jesus comprou o seu passe, não com euro nem como dólar, mas como sangue dele, você não joga mais o jogo da morte. Ele tirou você do time da morte e o trouxe para o time da vida. O seu jogo, assim sendo, agora é outro: é o jogo da vida.

Além de você, mais gente, que não se pode contar, vinda de todas as tribos, povos, nações e línguas, de igual modo, joga esse mesmo jogo. Já se ouviu o apito inicial, mas o apito final ainda não. O jogo segue, até quando, justo juiz quiser. Você não deve perder tempo com o tempo do jogo. Apenas jogue o jogo.

Jogue sem prender a bola. No jogo da vida todo mundo deve jogar, e não apenas você. Até porque nesse jogo não existe banco. Existe apenas campo. E o campo é o mundo. Diante de um campo com tanta área e de um time com tanta gente, é muita falta de noção da sua parte querer ficar com a bola.

Solte a bola. Passe a bola. Não seja fominha. Não queira decidir tudo sozinho. Pare de jogar para você. Pare de firula, de tentar fazer jogada bonita o tempo todo, mas que não faz gol nem no arco-íris. Jogue pelo time. Melhor ainda: jogue pelo dono do time.

Dê o sangue por aquele que deu o sangue por você. Molhe a camisa por ele. Pare de fazer corpo mole. Chega de comer grama. Deixa de ser pipoqueiro. Não evite os lances mais duros com o time da morte só para não se machucar. Não tire o pé na dividida nem amarele quando for contra-atacado.

Outra coisa. Fique atento à catimba do adversário. Ele é catimbeiro desde o principio. Vai fazer de tudo para ganhar tempo, porque sabe que pouco tempo lhe resta. Tenha apenas uma coisa em mente: maior é aquele que está com o time da vida do que aquele que está com o time da morte.

Confira também

Comentários encerrados.