E se o meu filho se envolver com pornografia?

Mesmo diante do choque de descobrir que seu filho ou filha está envolvido com pornografia, é imprescindível que os pais continuem aceitando-o(a). É preciso haver compreensão e disposição para ouvi-los.

Um adolescente que já caiu nas garras desse mal provavelmente não se sentirá muito à vontade e não terá liberdade de conversar sobre o assunto.  Haverá constrangimento e ele poderá até mentir ou tentar fugir do diálogo para evitar questionamentos. No entanto, quando os pais demonstram aceitação, compaixão e compreensão, ele ficará mais predisposto a abrir seu coração. Ele também precisará ter certeza absoluta que tudo o que contar ficará entre eles, que seus pais manterão sigilo.

Pais, procurem relembrar as suas próprias batalhas quando eram adolescentes, principalmente com o fato de estarem sendo sugados pelo turbilhão de transformações hormonais. Não esqueçam seus momentos de solidão e medo quando pensaram que ninguém seria capaz de entender seus sentimentos e lutas.

Se o seu filho(a) tiver coragem para confessar sua fraqueza, saiba que ele(a) estará se sentindo muito envergonhado(a). Relembre-o(a) que muitos outros jovens lutam com as mesmas tentações.

Pais, peçam ao Senhor que lhes dê força e sabedoria, renovem e redobrem seu amor por seu filho(a) e os oriente sobre como agir. Nunca desanimem porque Deus, que nunca nos abandona ou nos nega sua fidelidade e amor, tem todo interesse em resgatar seu filho(a) e libertá-lo(a) do pecado da pornografia, concedendo-lhe perdão.

Como os pais devem agir ao perceberem que seu filho ou sua filha estão se envolvendo com pornografia?

  1. Confronte-o(a) com carinho. Ele(a) precisa compreender que pornografia é pecado. Oriente-o(a) a confessar a Deus seu pecado, arrepender-se e aceitar e receber o amor e o perdão de Deus.

  2. Converse com ele(a) explicando que os impulsos sexuais são normais, algo que nos foi dado por Deus. Porém, esses impulsos precisam ser canalizados de maneira correta, isto é, no contexto do casamento.

  3. Expliquem que quando os desejos sexuais surgirem, eles precisam desviar sua atenção deles e concentrarem-se em alguma modalidade de esporte, atividade social, projeto etc.

  4. Alertem sobre o perigo de envolverem-se com a pornografia e suas consequências. Deus planejou o sexo para ser uma bênção prazerosa e recíproca no casamento.

  5. Avisem que imagens vistas em revistas, filmes, internet ou TV ficarão gravadas em sua mente e serão difíceis de serem apagadas. Elas irão gerar fantasias eróticas que mais tarde poderão ser usadas por Satanás para derrotá-lo(a).

  6. Deixem muito claro a importância da leitura e meditação da Palavra de Deus, da comunhão com o Senhor, da oração diária e da confissão de seus pecados (Salmos 119.105: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para os meus caminhos.”)

  7. Fiquem sempre ao lado dele(a) ajudando-o(a) pacientemente a modificar seu comportamento (1Tessalonicenses 4.3).

Pr. Jaime Kemp é diretor do Ministério Lar Cristão

Fonte: FESOFAP

Confira também

Sem comentários