É o fim do mundo mesmo!

Não temos como calcular o dia e nem a hora da vinda de Jesus, a bíblia assim afirma, mas os sinais de que estamos vivendo os finais dos tempos são claros.

Muitos são os sinais, mas há um deles que me chama a atenção. Jesus disse: “E por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos” (Mateus 24.12).

Começamos o ano de 2019 com inúmeros desastres; chuvas, pessoas morrendo em acidentes aéreos, adolescentes morrendo queimados, soterramento tirando a vida de mais de 400pessoas, guerras, assassinatos. Só no Brasil uma mulher é morta a cada duas horas.

E não somente nessas grandes tragédias, mas vemos isso no dia a dia mesmo: famílias sendo destruídas por conta do orgulho, pais que não se relacionam com seus filhos, esposas que falam mal dos seus maridos, insubmissas, maridos omissos, pais ausentes, filhos que desrespeitam os pais, brigas, faltam de empatia, dificuldade de relacionamento no trabalho, escola, há pouca tolerância, pouca paciência, há pouco perdão, o amor se esfriando…

Significado de iniquidade: ανομια [anomia] (Substantivo feminino) Como uma partícula negativa- “sem”, e νομος [nomos] “lei” = “sem lei”). Negação da lei. Ilegalidade, falta de conformidade com a lei, violação da lei, desacato à lei, iniquidade, impiedade.

Em suma, iniquidade é a ação contra qualquer lei ou regra.

A relação que Jesus apresenta é inversamente proporcional: o crescimento da iniquidade implica no enfraquecimento do amor.

Estamos inseridos nesse contexto de caos, e as vezes podemos até nos desanimar diante de tamanhas atrocidades, a Palavra de Deus afirma que “nos finais dos tempos o amor de muitos de esfriaria”, mas também afirma que nos finais dos tempos “Ele derramaria do Seu Espírito.”

E ISSO PRECISA SER UM BALSAMO PARA O NOSSO CORAÇÃO!

Joel  2.28 e 32 diz: “E, depois disso, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os velhos terão sonhos, os jovens terão visões. Até sobre os servos e as servas derramarei do meu Espírito naqueles dias. E todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo, pois, conforme prometeu o Senhor, no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento para os sobreviventes, para aqueles a quem o Senhor chamar.”

O derramar do Espírito é caracterizado como capacitação para evangelizar, para amar, para perdoar, capacitação de permitir a ação ou produção do fruto do Espírito em nós. É sermos cheios de Deus para exalar vida!

O texto que lemos de Joel inicia com “E depois”, mas depois do que o Senhor derramará o Seu Espírito?

O texto nos mostra nos versículos 12-14 o próprio Senhor dizendo:  “Agora, porém”, declara o Senhor, “voltem-se para mim de todo o coração, com jejum, lamento e pranto. Rasguem o coração, e não as vestes. Voltem-se para o Senhor, para o seu Deus, pois ele é misericordioso e compassivo, muito paciente e cheio de amor; arrepende-se, e não envia a desgraça.”

É tempo de tirar as máscaras, de tirar a roupa de festa e colocar trapo de imundícia, é tempo de converter nosso riso em pranto e nos humilharmos diante do Senhor buscando ter uma vida de coração quebrantado e não só um momento. (Tg 4.7-10)

O primeiro passo é reconhecer quem somos: pecadores, depravados, maus, orgulhosos, maldizentes, reclamões, críticos, mentirosos, adúlteros, desobedientes, incompassivos, e muito mais! Não somos melhores do que os outros, não somos mais santos, mas dignos, não somos por melhor que pareça que somos! Por isso necessitamos desesperadamente desse derramar de Cristo em nós.

O amor de muitos está de esfriando, mas não de todos!! Deus está separando para Si aqueles que não se deixam corromper, mas permanecem fiéis a Ele.

Onde está você nessa situação? Seu amor por Deus e pelas pessoas está diminuindo? Seu desejo por ser cheio do Espirito Santo está aumentando?

Fonte: Simplesmente Filha

Confira também

Comentários encerrados.