Deus ama os ministérios que não são vistos

Deus me mostrou a beleza dos ministérios não vistos enquanto eu visitava minha avó em uma casa de repouso.

No verão passado nós visitamos minha família em Michigan. No domingo de manhã, nós estávamos visitando uma igreja local e conhecemos uma amável família depois do culto. O marido servia como presbítero, seus cinco filhos também frequentavam a igreja. Eles receberam minha família calorosamente e conversaram conosco sobre nossos planos de verão e nossa visita à cidade natal.

Depois da igreja, fomos visitar minha avó no casa de repouso e nos deparamos com a mesma família sentada nas cadeiras e com suas bíblias abertas, o marido ensinava uma passagem das Escrituras e minha avó ouvia atentamente em sua cadeira de rodas. Ela era a única residente lá.

A família sorriu largamente para meu marido e eu, e fizeram gestos para que nós entrássemos. “Não fazíamos ideia de que Bernadine era sua avó! Nós amamos Bernadine! Há anos temos cultuado com ela!”. Na medida em que falávamos com minha avó e a doce família, eles explicaram como eles começaram o serviço na ala de pacientes com Alzheimer, e como depois se sentiram compelidos a liderar um segundo serviço na unidade que minha avó estava. Essa era a forma pela qual sua família servia aos outros, levando o Evangelho àqueles que não podiam mais comparecer à igreja.

A fé por trás do serviço silencioso

Quando nós retornamos ao carro, lágrimas encheram os meus olhos. Estava impressionada com o fato de toda essa família passar suas tardes de domingo cantando louvores e ensinando as Escrituras para aqueles que são frequentemente esquecidos na sociedade: os idosos. Estava impressionada por minha própria avó, a qual regularmente é motivo das minhas orações, estar recebendo ensino bíblico sólido a cada semana.

Fiquei abismada tanto pela maneira incrível pela qual Deus respondeu minha oração e pela humildade altruísta de toda a família. Eu refleti acerca da fé requerida para esse tipo de serviço. Eles estavam gastando horas a cada semana ensinando a Bíblia para aqueles que provavelmente nem lembrariam seus nomes. Contudo eles confiaram nas promessas de Deus e que a Sua palavra não voltaria vazia. As verdades da Bíblia estavam sendo plantadas nos corações daqueles residentes que participavam (naquele dia, apenas minha avó), e isso era suficiente como recompensa para eles.

Serviços secretos são vistos por Deus

Às vezes pode ser difícil de servir de maneiras invisíveis. O orgulho da nossa carne deseja ser visto e aplaudido pelas coisas que fazemos. Nossos corações pecaminosos frequentemente possuem diversos motivos: desejo de ajudar os necessitados, mas também o desejo de aproveitar uma parte da glória para nós mesmos. Em Mateus 6, Jesus confronta nossa tendência de querer praticar a justiça para ser visto pelos outros: “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte, não tereis galardão junto de vosso Pai celeste.” (Mateus 6:1)

Jesus contrasta os hipócritas que sopram seus trompetes quando dão aos necessitados com dar em segredo – quando nem mesmo sua mão esquerda sabe o que sua mão direita está fazendo (Mateus 6:2-3). As recompensas são constrastantemente diferentes. A generosidade pública (seja de maneira monetária ou em atos de serviço) é recompensada pelo louvor de homens. Dar em segredo demonstra a confiança num Pai que te vê e te recompensará (Mateus 6:4), se não agora, no céu.

Servir sem ser visto revela a fé e humildade daquele que serve. Eles dificilmente acharão uma recompensa tangível na terra, mas em lugar dela, acharão alegria e paz ao servir a Deus em secreto.

Contentamento em Ministérios não vistos

Servir nos bastidores nos ensina sobre contentamento. Nós todos possuímos dons únicos e ministérios nos quais Deus nos chamou para servir. “Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função, assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros, tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé” (Romanos 12:4-6). Enquanto alguns dons são mais públicos do que outros (por exemplo, ensinar), todos eles requerem submissão à vontade de Deus.

Servir de maneira não notada pode promover um silencioso contentamento em nossos corações. Nós precisamos de crentes como o quem enche os copos das ceias. Precisamos daqueles que limpam o prédio e tiram o lixo. Precisamos de pastores pastoreando pequenas congregações. Necessitamos de miríades de braços para distrair os bebês no berçário permitindo que pais cansados sejam fortalecidos no culto congregacional. Deus valoriza aqueles que pregam em casas de repouso para uma frágil senhora em uma cadeira de rodas da mesma forma que valoriza aqueles que pregam para centenas em mega igrejas.

A beleza dos ministérios não vistos resplandece Aquele que nos chama para servir – não para o louvor de homens, mas para honrar o Deus que nos concede alegria e paz enquanto seguimos o seu chamado.

Fonte: Inconformados

Confira também

Sem comentários