Amigo tipo o…

“Dou graças a Deus, a quem sirvo com consciência limpa, como o serviram os meus antepassados, ao lembrar-me constantemente de você, noite e dia, em minhas orações”, – 2Tm 1.3, NVI

Sempre que leio este trecho desta carta fico admirado com a maneira como Paulo lembra do jovem Timóteo. O apóstolo deixa claro que não passa um dia sequer sem interceder por seu amigo Timóteo, e que, enquanto passa um tempo na prisão, ele alivia a saudade com lembranças das experiências que viveu junto com seu filho na fé. Esta parceria entre ambos, revela uma lição valiosíssima: precisamos de mais amigos que nos levem para perto de Deus.

Paulo inicia sua carta ao amigo e filho na fé, dizendo que agradece a Deus sempre que lembra de Timóteo (2Tm 1.3). Este simples trecho da carta já é de arrepiar! Imaginem, a simples lembrança de ter um amigo verdadeiro como Timóteo faz com que Paulo seja grato ao Senhor. Isto é interessante, porque quase sempre temos a mania de lembrar das pessoas pelas coisas ruins que elas nos fizeram, e também porque quase sempre deixamos de agradecer ao Senhor pela amizade daqueles amigos que nos levam para mais perto Dele.

Através de sua amizade com Timóteo, Paulo nos ensina a importância dos relacionamentos cristãos, uma vez que são firmados pelo serviço mútuo e pela dedicação ao Senhor. Paulo deseja que a comunidade de Éfeso saiba que ele tem orado por seu filho na fé todos os dias, e que, para ele, a lembrança de Timóteo é sempre um motivo de alegria em meio ao sofrimento da prisão.

Não é difícil imaginar a renovação do ânimo de Timóteo ao saber que seu pai na fé tem intercedido dia e noite a seu favor. É muito inspirador, saber que em meio aos desafios e dilemas da vida, há sempre um amigo de oração em quem podemos confiar.

Mas o texto do versículo 3 ensina algo mais: quando Paulo lembrava de Timóteo dava graças a Deus e sentia-se motivado a orar pelo seu amigo. Me permita lhe trazer uma reflexão: quando foi a última vez que um amigo(a) seu(a) procurou você para dizer “dou graças a Deus pela nossa amizade! Sempre lembro de você em minhas orações!” Não podemos perder a oportunidade de sermos um motivo de alegria na vida de alguém, além do que, este é um mandamento do Senhor (Mt 5.16).

Sejamos honestos: como as pessoas lembram-se de nós? Com alegria ou com tristeza? Com esperança ou com desalento? Com paz ou ódio? Somo o motivo de gratidão de alguém? Somos motivo de exemplo cristão para alguém? As respostas dessas indagações dizem muito sobre o tipo de marcas que temos deixado na vida das pessoas que convivem conosco. Timóteo era apenas um jovem, mas apesar disso ele foi capaz de deixar marcas genuinamente cristãs na vida do apóstolo, que acabaram servindo de consolo durante o período de maior angústia na vida de Paulo. Que o Senhor nos ajude a sermos amigo tipo… o(a) que vale a pena ser lembrado(a).

Fonte: FUMAP

Confira também

Sem comentários