Amar exige atitude!

Confira alguns conselhos de Gary Chapman e entenda como os pequenos gestos podem edificar a vida a dois

Como seria o nosso casamento se realmente seguíssemos o conselho de João, “o discípulo que Jesus amava”, de amar não somente com palavras “mas em ação” (1Jo 3.18)? Como confirmar o que dizemos com o que fazemos?

O amor é paciente. Por isso, se queremos mostrar amor em nosso comportamento, nosso comportamento deve ser paciente. As implicações aqui são tremendas. Isto eliminaria sua impaciência quando sua esposa se prepara para sair. Por que não sentar-se e relaxar? O seu comportamento impaciente não aumenta a velocidade dela, mas simplesmente agita seu próprio espírito e pode ser até fisicamente prejudicial. Você não precisa ser impaciente. A escolha é sua. Por que não amar?

O amor é bondoso. Atos de bondade e gentileza são manifestações fortes de amor. A única limitação será sua imaginação e vontade. Flores são uma forma bonita de dizer “amo você” a qualquer pessoa — com exceção da esposa alérgica a elas. Uma mensagem no meio de um dia de trabalho, dizendo que “você é o melhor marido do mundo”, também pode funcionar muito bem. Um jantar-surpresa em um restaurante transmite a ideia de que “você é especial” para a mulher que costuma cozinhar para a família.

Há quanto tempo você não escreve uma carta de amor para seu cônjuge? “Não seja tolo”, alguém pode argumentar, “eu o vejo todos os dias. Por que escrever uma carta?” Porque você dirá coisas, em uma carta de amor, que não diz em uma conversa. Uma carta de amor por mês manterá o casamento vivo e se aprimorando. Uma carta é um ato de gentileza.

Por que não estabelecer alguns alvos novos para si, no que diz respeito a demonstrações de gentileza? Pense em alguma coisa que possa fazer todos os dias para expressar amor pelo seu cônjuge. Depois de completada a ação, diga: “Amo você”. Não seja como o homem que me contou o seguinte: “Falei à minha esposa que a amava no dia em que lhe pedi para se casar comigo. Se um dia mudar de ideia, avisarei a ela”. O amor não é um ato único. É um estilo de vida.

 O amor não é um ato único. É um estilo de vida.

O amor é amável. A palavra “amável” significa “que demonstra delicadeza, cortesia; afável, lisonjeiro, simpático”. Você esqueceu das pequenas coisas? Trata os outros com mais cortesia do que a seu cônjuge? Muitos levam longe demais a ideia de que “o lar do homem é o seu castelo”, permitindo-se em casa um comportamento que não sonhariam em exibir no escritório ou na igreja. Quase tão mau quanto isto, é comum esquecermos as amabilidades: um “bom dia” simples, beijos ao voltar para casa depois do trabalho, tomar o braço da esposa ao passar por um lugar escorregadio no estacionamento. Ligar para dizer que vai chegar atrasado não é mais do que você faria com qualquer outra pessoa com quem tivesse um encontro, e com os celulares, hoje em dia isso ficou ainda mais fácil. Por que não tratar seu parceiro com a mesma cortesia e o mesmo respeito que usa com os outros?

O amor não é egoísta. O amor procura os melhores interesses da pessoa amada. Se o marido vivesse com o desejo de ajudar a esposa a alcançar o seu potencial e ela fizesse o mesmo, estaríamos seguindo o ideal bíblico.

É possível que o padrão de amor que estivemos discutindo pareça sobrenatural para você. E é. A norma humana é amar os que nos amam. Jesus disse: “Se vocês amarem aqueles que os amam, que recompensa vocês receberão? Até os publicanos fazem isso!” (Mt 5.46). Você não precisa da ajuda de Deus para amar o marido ou a esposa que ama você. Isso é natural. Jesus, porém, nos chama para amar nossos inimigos (Mt 5.44).

 Seu cônjuge, com certeza, não pode ser pior do que um inimigo. Por isso, sua responsabilidade é clara. Deus quer expressar amor através de você. Você dará a ele a oportunidade de demonstrar o poder do amor? Deixe suas emoções de lado, não se condene por seus sentimentos negativos. No poder do Espírito Santo, expresse amor em palavras e atos, e as suas emoções o acompanharão. Se, com o tempo, seu parceiro corresponder ao seu amor, aquela sensação gostosa pode voltar. O amor não está fora do seu alcance, se você for cristão.

Fonte: Mundo Cristão

Um comentário

  • Responder
    2 de janeiro de 2018

    Parabéns pela matéria, me agregou muito