“Ajuda! Tem dinamite!”

Não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu e também do grego (Rm 1:16).

Lembrei-me desse versículo, ao ler uma reportagem na Internet.

Sexta-feira, quatro de abril de 2008 (mais de dez anos atrás), na praça principal de Oruro, cidade boliviana, um casal discutia sobre a manutenção de seus dez filhos. O homem levava consigo um cartucho de dinamite aderido ao corpo. No meio da discussão, jogou-se sobre a esposa, e o cartucho explodiu. “Ajuda, tem dinamite”, foram as últimas palavras dela. Os dois morerram.

A dinamite tem um poder destruidor. Foi inventada pelo sueco Alfred Nobel, em 1866. Apesar de ter sido inventada na Suécia, a palavra dinamite não é de origem sueca, mas grega.

No versículo já citado, Paulo diz que o evangelho é o poder de Deus. A palavra que foi traduzida por poder nas nossas bíblias, no texto original, é dunamis, de onde se deriva a nossa palavra moderna dinamite. Olha só que interessante: Muitos anos antes de Alfred Nobel colocar o nome de dinamite na sua invenção, o apóstolo Paulo já usava esta palavra para falar do evangelho. É claro que ele não tinha em mente a dinamite como nós a conhecemos. Esta ainda não existia. Alfred Nobel usou a palavra para se referir ao poder destruidor da sua invenção. Paulo, a usou para se referir ao poder transformador do evangelho.

O apóstolo acreditava no grande poder do evangelho. Para ele, o evangelho é “a dinamite de Deus” e tem poder de transformar corações. Esse versículo, como toda a epístola aos Romanos, foi endereçado aos cristãos que moravam na capital do império romano, onde o evangelho era ridicularizado. Seria fácil um cristão ceder diante das tentadoras propostas da avançada capital. Afinal, era muito mais cômodo entrar na onda e se deixar moldar pelos padrões da sociedade romana do que viver o evangelho da cruz, da renúncia, do compromisso, da entrega. Porém, Paulo estava convencido de que essa era a melhor proposta a seguir. Há mais de vinte anos, sua vida havia sido transformada pelo evangelho.

Em Romanos 1:16, o apóstolo tem uma mente amadurecida e deixa bem claro que nenhum poder, seja ele político, social, econômico ou religioso, se compara ao poder do evangelho.

Você também tem essa certeza? Acredita no poder do evangelho? Crê que ele pode dar novo rumo à vida do que está desorientado? Sabe que ele é o poderoso método divino para nos levar ao céu? Você faz parte do mais glorioso projeto que existe! Mesmo que seja difícil em alguns momentos, lembre-se de sua herança no céu; persista! A nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação (II Co 4:17). Deixe o evangelho transformá-lo, dia-a-dia, à imagem de Jesus.

E quanto à reportagem da internet… Talvez se, ao invés de carregar a dinamite de Alfred Nobel aderida ao corpo, o esposo suicida estivesse carregando o evangelho de Cristo no seu coração, o final da história poderia ter sido bem diferente… Pense nisso!

Fonte: Além Portal

Confira também

Comentários encerrados.